Tapetes no feriado de Corpus Christi: entenda esta tradição

Leia mais

Fiéis confeccionam símbolo da festa católica com serragem, sal colorido e até borra de café.

Corpus Christi – feriado em que é celebrado o Corpo de Cristo, simbolizado na missa católica pela hóstia – é comemorado em várias cidades brasileiras através dos tapetes de serragem. Neles, os fiéis “desenham” cálices, pães e vinhos, que lembram o sacramento da comunhão.

Mas de onde vem essa tradição? Como os tapetes são feitos? Onde eles são colocados? Tire estas dúvidas a seguir.

Origem e significado

Os tapetes de Corpus Christi têm origem portuguesa. Elas chegaram ao Brasil na época da colonização.

Para a Igreja Católica, a prática remete à acolhida de Jesus em Jerusalém, “quando as pessoas cobriram as ruas de ramos e mantos para a passagem do Messias”, como explicou a Arquidiocese de Belo Horizonte.

“Os tapetes integram o trajeto da procissão com o Santíssimo Sacramento, que para os católicos é a presença de Jesus no Pão Eucarístico”.

Tapetes simbolizam o sacramento da comunhão — Foto: Redes sociais

Material

Tradicionalmente os tapetes são feitos de serragem e de sal colorido, mas hoje, os fiéis também usam materiais diversos, como borra de café, areia, cascas de ovos e flores.

Os tapetes não saem do lugar: normalmente são feitos desenhos no próprio chão, que depois são preenchidos com esses materiais, compondo os tapetes.

Procissões

Os tapetes são confeccionados ainda na madrugada para que que fiquem prontos a tempo das procissões com o “Corpo de Cristo”, que simboliza o sacramento da comunhão.

Os fiéis passam por cima dos tapetes no trajeto definido para a procissão. São eles que sinalizam o percurso da procissão.

Procissão de Corpus Christi em Ouro Preto — Foto: Prefeitura de Ouro Preto/Divulgação

Temas

É muito comum haver temas para os tapetes. Neste ano, por exemplo, a Arquidiocese de Belo Horizonte escolheu o tema “Fome e Eucaristia“.

Como ele será adotado na Catedral Cristo Rei, que é a Igreja-Matriz da Arquidiocese de BH, inspira outras igrejas – as procissões de Santa Luzia e Lagoa Santa, na Grande BH, por exemplo, também escolheram a temática da fome.

Na Catedral Cristo Rei, ao lado do tapete, formando um corredor, estarão alguns donativos que serão destinados às famílias mais pobres, seja via cestas básicas ou refeições preparadas na própria Catedral , no projeto “Dai-lhes vós mesmos de comer”.

Em Sabará, no auge da pandemia em 2020, muitos tapetes trouxeram mensagens de fé, como “vai passar”.

Tradição

Os tapetes de serragens são muito comuns nas cidades históricas de Minas Gerais como Ouro Preto, na Região Central, e Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Cidades menores também já adotaram a tradição.

Por Thais Pimentel, g1 Minas — Belo Horizonte

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Últimas notícias

A Importância da Oração

Somos caminheiros, nesta vida, e alguns ainda acreditam ter o controle das coisas, são autossuficientes, como se fossem capazes...